01 maio 2013

Adormecida - Anna Sheehan

Adormecida é um livro escrito por Anna Sheehan e se passa em um ambiente Distópico, narrado em um futuro distante, estilo literário que começou a fazer sucesso após a trilogia Jogos Vorazes.



Sou dessas que julga muito o livro pela capa e ao ver Adormecida na prateleira da loja prontamente comprei imaginando que seria um livro de romance juvenil e até cheguei a pensar que poderia ser algo bem parecido com a Bela Adormecida no mundo real, já que a releitura dos contos de fadas virou febre de uns tempos para cá.
Ao contrário de A Bela Adormecida, o livro retrata uma história bem diferente de um romance com fadas, castelos e coroas. Ela se passa em um cenário futurista após os Tempos Sombrios, conhecidos pela humanidade como uma desordem mundial regida por caos, doenças, fome e infertilidade. 

Rose Fritzoy, herdeira de uma empresa muito poderosa chamada Unicorp, que controla diversos produtos e serviços na Terra e em outros planetas desperta após 60 anos de estase química – sono induzido por um tubo – no porão de sua antiga casa e se depara com um mundo completamente novo dominado pela empresa de seus pais. Obviamente, nem todos estavam felizes com o despertar de Rose pelo fato de ser a única herdeira da corporação.  Além de ter que lidar com o perigo constante que a cerca e tentativas de assassinato,  Rose precisava se adaptar ao mundo novo em que vivia, buscar respostas para o motivo de ter ficado esquecida em estase por tanto tempo, a morte de seus pais e namorado há anos atrás, a relação com seus tutores que foram contratados para vigiá-la e ao mesmo tempo lidar com sua amizade com Otto, um alienígena (?) que pertencia a Unicorp e uma paixão platônica pelo garoto que a encontrou no tubo de estase.

O começo do livro é confuso e até sem graça, o que me fez ficar bastante frustrada pois havia colocado bastante expectativa nele, mas a medida que a história avança, começamos a entender um pouco mais sobre a personalidade confusa da personagem, essa confusão não é só gerada pelo fato de ter acordado em um mundo completamente novo, mas também é resultado da infância de Rose . Quando chegamos a metade do livro, conhecemos mais sobre passado, sua paixão por Xavier – namorado da personagem antes de entrar em estase - e seu relacionamento “defeituoso” com os pais que a colocavam em sono induzido constantemente como uma forma de fugir de suas responsabilidades. Rose era controlada por eles e mantida como uma criança obediente, que envelhecia devagar de forma que nunca a perderiam de vista.
Aos poucos Rose tenta se adaptar às mudanças que ocorreram desde sua época em  com a ajuda de Bren, sua paixão platônica, em sua escola. O garoto a apresenta a seus amigos em uma tentativa de faze-la se sentir parte do mundo que futuramente reinaria, mas a única amizade que a garota conseguiu manter foi com Otto Avatar, um alienígena azul desenvolvido em laboratório a partir de microrganismos que só conseguia se comunicar por pensamento.

O livro é narrado em primeira pessoa, de modo que acompanhamos todos os detalhes da vida de Rose desde sua infância em forma de flashbacks até seus conflitos interiores. Pessoalmente, achei o livro pouco proveitoso, uma escrita superficial em alguns aspectos e sem um desfecho muito instigante. A história é dramática, mas de fato só fica mais intensa no final, o que não vou negar: me agradou bastante, mas até chegar nele, achei a amizade de Rose e Otto o ponto mais interessante da história. Gostaria que a autora tivesse falado um pouco mais dos Tempos Sombrios também. Além disso, Bren e Rose não uma química forte e o romance não tem muito destaque. Rose é uma personagem complexa e tudo isso se deve a sua ligação com os pais problemáticos.
Mesmo achando que a autora não deixou espaço para continuação, a história terá seu segundo livro, espero que ela consiga aprofundar as relações dos personagens e que aborde pontos novos. De todos os livros distópicos lançados que li, achei este um dos mais fracos e não sei se leria a continuação. Ou talvez sim por pura curiosidade, mas não sinto uma necessidade quase insaciável, consigo esperar uns bons meses sem nem sentir ansiedade até o lançamento do próximo livro.


Beijos, Luiza.

Um comentário:

  1. Que resenha linda, Luiza!
    O livro parece ser muito bom, e lindo! A história me interessou bastante (:
    Beijoss, Gengiscan Pereira, Books For Me, NOW!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário! Até a próxima :D

© Luiza de Jobim Copyright 2016 Todos os direitos reservados.
Design by Tamires Sobral | Portfólio Ícones by flaticon.com